EMPREGO MILIONÁRIO

Sem título

Crise econômica, caos político, discussões intermináveis nas redes sociais. Às vezes dá vontade de largar tudo, colocar uma mochila nas costas e ir embora, certo?

Se você sofre desses impulsos (e entende de mecânica), existe um lugar no meio do oceano Atlântico que pode ser seu próximo destino.

Tristan da Cunha, considerada a ilha habitada mais remota do planeta, está precisando de um mecânico para eventualmente cuidar dos carros, tratores e outros equipamentos agrícolas que existem neste pedaço de terra cercado pelo mar. O salário: 25 mil libras esterlinas (cerca de R$ 130 mil) por ano.

A ilha, que é um território ultramarino britânico, tem apenas 267 moradores e só pode ser acessada de barco.

         O local habitado mais próximo (a 2.430 km) é a ilha de Santa Helena, aquela em que Napoleão Bonaparte foi exilado e faleceu. Já a Cidade do Cabo, na África do Sul, de onde saem embarcações para Tristan, fica a mais de 2.800 km de distância.

Durante a rotina de trabalho, o contratado terá também que ensinar técnicas de mecânica para os nativos.

Sem título1

Mas não faltarão paisagens para admirar nos momentos de folga: Tristan da Cunha é uma ilha de origem vulcânica e está recheada de lindos cenários montanhosos. Pinguins podem ser avistados na orla em determinadas épocas do ano.

Lá há também um pub, um café e até um pequeno museu.

Mas os interessados devem estar comprometidos com o trabalho: o contrato oferecido é de dois anos. Ou seja: perfeito para viajar e fugir um pouco do estresse, não?

Leia e saiba mais

Veja também

EMBARCANDO NA REAL

Precisamos decidir, para o bem de todos, que a pesca não tem nada a ver ...

UMA PRAIA, UMA GAROTA, UM TUBARÃO

A praia é deslumbrante: uma baía pequena e isolada, com ondas de um azul-turquesa cristalino ...

SELO ARTE, CARCINICULTURA E CARDUME ASSOCIADO

Aberta consulta pública sobre boas práticas para concessão do Selo Arte a alimentos derivados do ...

O MACHADO DE KAFKA

“Penso que devemos ler apenas os livros que nos ferem, que nos apunhalam. Se o ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *