AMPLIANDO O CONCEITO DE FRUTOS DO MAR

sem-titulo

É fundamental ampliar o conceito de frutos do mar sustentáveis através da Avaliação do Ciclo de Vida das pescarias.

Os mecanismos para a gestão pesqueira, em uma visão global, inicialmente eram voltados na limitação da explotação de estoques pesqueiros unitários. Atualmente as abordagens passaram a incluir uma visão mais ampla para o uso sustentável dos ecossistemas. Este novo modelo levou ao desenvolvimento de inúmeras ferramentas destinadas a classificar a sustentabilidade das atividades de pesca levando em consideração sua relevância biológica, tecnológica, econômica, social e ambiental. Dentre as ferramentas utilizadas para a avaliação e quantificação dos impactos ambientais possíveis associados a atividade pesqueira a Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) é uma das mais utilizadas.

Esta avaliação é feita sobre todo os estágios do processo da atividade, desde a captura dos recursos até a mesa do consumidor. Pode-se exemplificar o uso da ACV na atividade pesqueira utilizando como variável o consumo de combustível para a captura dos recursos. Petrechos de pesca que explotam espécies que possuem o comportamento de se agregarem em cardumes geralmente possuem altas taxas de captura por unidade de esforço. Um exemplo são os pequenos peixes pelágicos capturados com redes de cerco, muitas vezes é necessário menos de 50 litros de combustível para se capturar 1 tonelada deste recurso, enquanto que as espécies que possuem hábitos mais solitários, como os crustáceos capturados com armadilhas ou redes de arrasto, o consumo de combustível pode chegar aos milhares de litros para a captura de 1 tonelada deste recurso.

Vale ressaltar que a abundância das espécies-alvo é, naturalmente, um parâmetro muito importante na classificação do nível de sustentabilidade das atividades pesqueiras, quer seja devido à variabilidade natural ou à sobre-explotação dos estoques. Os dados obtidos através das estatísticas pesqueiras ao longo dos anos permitem a utilização de ferramentas, como a Avaliação do Ciclo de Vida, para quantificar os reais impactos que as atividades pesqueiras exercem sobre os ecossistemas. O que dever ser feito é integrar este conhecimento mais amplo sobre os impactos desta atividade para a sua gestão. Isto deve ser feito havendo um diálogo aberto entre os pescadores, os gestores, a indústria, ONG’s e consumidores visando a continuidade e o progresso de pescarias mais sustentáveis.

Confira

 

Peixes e frutos do mar

 

Veja também

EMBARCANDO NA REAL

Precisamos decidir, para o bem de todos, que a pesca não tem nada a ver ...

UMA PRAIA, UMA GAROTA, UM TUBARÃO

A praia é deslumbrante: uma baía pequena e isolada, com ondas de um azul-turquesa cristalino ...

PESCADORES E MARINHEIROS

Pescadores portugueses estão à beira de um ataque de nervos. Comandante do porta-aviões USS Theodore ...

A PESTE E AS RUÍNAS

A peste é o nosso calcanhar de Aquiles. A tragédia está batendo em nossa porta ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *