MAR AZUL DE FERREIRA GULLAR

sem-titulo1Neste momento, detalhes sobre a biografia e a trajetória literária de Ferreira Gullar já estão disponíveis em diversos artigos e reportagens na Internet – muitos recorrendo, justificadamente, à expressão “perda irreparável”, escreve Luciano Trigo em O GLOBO. No caso do poeta maranhense, o clichê se torna exato e verdadeiro como um verso: esta é mesmo uma perda irreparável. A excelência e a consistência de sua produção poética ao longo de mais de seis décadas (seu primeiro livro, “A luta corporal”, começou a ser escrito em 1950), não encontram termo de comparação no Brasil de hoje.

Mas a morte de Ferreira Gullar também tem um impacto simbólico que supera o da partida de outros escritores: ela marca o fim de uma era na cultura brasileira, em dois aspectos igualmente importantes.

 

sem-titulo

Mar azul

Enquanto o mar bate azul em Ipanema

Quem dera ser um peixe

Solidariedade

Fim de uma era

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *