Home » Destaques » ENERGIA DAS ONDAS

ENERGIA DAS ONDAS

sem-titulo1Uma empresa australiana acaba de lançar o projeto de uma planta de energia maremotriz, que aproveita a força do oceano para gerar energia. Criada pela Carnegie Wave Energy, a estrutura é uma nova versão de um modelo já executado e patenteado pela empresa, e é anunciada como “a planta mais importante e avançada tecnologicamente para testes e desenvolvimento de energia renovável de oceanos do mundo”. As informações são do jornal britânico The Guardian.

O sistema utiliza as boias CETO, estruturas que se assemelham a grandes tanques circulares. Essas carcaças são amarradas a uma âncora no fundo do mar e permanecem totalmente submersas, característica que é o diferencial do complexo. Em entrevista ao The Guardian, Michael Ottaviano, diretor-gerente da Carnegie, explica que a estrutura foi desenvolvida para priorizar a sobrevivência a longo prazo dos tanques no oceano mais do que a eficiência na conversão de energia.

“Você pode ter a tecnologia mais eficiente, mas se acabar estragando após a primeira grande tempestade, não vale nada”, diz Ottaviano. “[O CETO] Nunca atinge a superfície. Podemos simplesmente acompanhar uma onda grande enquanto ela passa pela boia, que segue o fluxo para cima e para baixo”.

O movimento de subida e descida é a base da tecnologia de energia de ondas da Carnegie. Em harmonia com as ondas oceânicas, o movimento conduz água a uma bomba. Agora, na última geração das boias, a CETO 6, um sistema acoplado dentro do tanque irá converter a água pressurizada em eletricidade limpa, que será transportada para fora do oceano por um cabo.

Investimentos – Formada em 2006, a empresa australiana acaba de lançar seu projeto de energia ondas de US$ 90 milhões em Cornwall, no Reino Unido, depois de receber US $ 15,5 milhões do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional para executar a primeira fase.

O diretor vislumbra um futuro para o método principalmente para fornecimento de energia para ilhas, por estarem cercadas pelo mar. Ilhas também costumam ter grande dependência de combustíveis fósseis importados, o que os deixa em altas taxas de emissões de CO2 e volatilidade de preços, conforme Ottaviano.

Até então, a principal dificuldade da energia das ondas é o fato de ser “um recurso de densidade de energia bastante baixa em muitos lugares, por isso pode exigir uma quantidade razoável de infraestrutura”, esclarece Stephen Doig, diretor do Instituto Rocky Mountain, que auxilia na implantação de energias renováveis em ilhas. Ainda assim, trata-se de um método a ser explorado, principalmente por ser inesgotável, renovável e promover energia sem emissão de poluentes.

Confira

 

Além disso, Verifique

PALAVRA DO PRESIDENTE: A LOTERIA DA PESCA

Peixes não entendem nada de política pesqueira. Não têm votos, não são devotos, mas podem ...

PESCA UNIDA

Associações e sindicatos da pesca artesanal e industrial em Santa Catarina tomaram a iniciativa de registrar ...

2 Comentários

  1. sou estuante de engenharia mecânica e tenho um projeto mais eficiente que este que gostaria de mostra . ser estive interessado chama no email .

  2. Esdras ferreira

    oi meu nome e Esdras ferreira de Abreu sou estudante de engenharia mecânica tenho um projeto bem mais eficiente que este que gostaria de apresentar .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*