PORTARIA 445 É ADIADA ATÉ JUNHO DE 2018

Decisão do MMA libera captura de 173 espécies consideradas economicamente importantes para a pesca. A flexibilização da portaria faz parte de um esforço liderado pelo Coletivo Nacional da Pesca e Aquicultura – CONEPE, com o apoio do Sindicato dos Armadores e das Indústrias da Pesca – SINDIPI e de lideranças políticas, que nos últimos meses tentam reverter o quadro gerado pela 445.

A decisão do Ministério do Meio Ambiente publicada no dia 20 de junho no Diário Oficial da União, libera pelo período de um ano a captura e comercialização de 173 espécies de peixes, crustáceos e moluscos consideradas pelo Portaria 445/2014 como vulneráveis (VU). De acordo com um levantamento realizado pelo SINDIPI, deste total, 20 são consideradas com valor comercial, entre elas estão: cação-noturno, cherne-verdadeiro, algumas raias, badejo-amarelo e garoupa.

De acordo com o Coordenador Técnico do SINDIPI, Marco Aurélio Bailon, esta publicação da portaria MMA nº 217/2017, que altera o Art. 4º da Portaria 445, não pode ser confundida com uma total liberação. “As espécies consideradas ameaçadas e criticamente em perigo continuam proibidas e entre elas aquelas tradicionalmente conhecidas, como raia-viola e cação-anjo, e cherne poveiro, por exemplo. Sendo assim, é importante que os armadores tenham acesso as informações corretas, para evitar qualquer problema com a fiscalização. Outro ponto destacado pelo Coordenador Técnico é que esta medida é um paliativo. A expectativa do setor é que o MMA tenha como foco uma estratégia para que seja realizada uma revisão referente a toda portaria 445, principalmente com relação ao problema do descarte das espécies proibidas e aos métodos de classificação das espécies. Como sinal de abertura das discussões, o MMA constituiu um grupo de trabalho GTT para dar continuidade a estas ações de flexibilização da portaria. O coordenador ainda reforça que sem os devidos investimentos em pesquisa e monitoramento dessas pescarias, a medida é apenas transitória, pois sem estas ações, no próximo ano estaremos nos defrontando com o mesmo problema.

A flexibilização da portaria faz parte de um esforço liderado pelo Coletivo Nacional da Pesca e Aquicultura – CONEPE, com o apoio do Sindicato dos Armadores e das Indústrias da Pesca – SINDIPI e de lideranças políticas, que nos últimos meses tentam reverter o quadro gerado pela 445. No mês de maio deste ano, representantes do CONEPE e do SINDIPI protocolaram no Ministério do Meio Ambiente, em Brasília, um documento pedindo a reclassificação de algumas espécies consideradas importantes economicamente.  A intenção naquele momento, era que as espécies que ocupavam a posição de vulneráveis, fossem consideradas como “Espécies sobreexplotadas e ameaçadas de sobreexplotação”. Esta classificação permite que estas espécies sejam capturadas, pois são espécies que devem ter seus planos de gestão implantados e não a simples proibição de captura.

 

 

Veja ainda:

Decisão do MMA libera captura de espécies consideradas economicamente importantes para a pesca.

Liberação das Espécies Vulneráveis da Portaria n° 445/2014 pela Portaria MMA n°217/2017

 

Nova portaria do MMA libera 132 espécies para pesca até 2018

 

Contra a Portaria 445, pescadores fazem protesto na BR 101 em Navegantes

 

Governo cede à pressão de pescadores e adia proibição de algumas espécies

 

Veja também

UMA PRAIA, UMA GAROTA, UM TUBARÃO

A praia é deslumbrante: uma baía pequena e isolada, com ondas de um azul-turquesa cristalino ...

PEIXE MORTÍFERO

PEIXE MORTÍFERO Uma cidade do Japão transmitiu um alerta de emergência depois que porções potencialmente ...

UM MAR DE EVENTOS EM 2018

UM MAR DE EVENTOS EM 2018 Quem trabalha na produção, processamento ou comercialização de pescado ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *