O POLVO EM SUA TINTA – SAPERJ
quinta-feira , outubro 1 2020

O POLVO EM SUA TINTA

O mundo quer comer mais polvo, mas criá-los em cativeiro é ético? Extremamente inteligentes, os animais estão no centro de um dilema entre a conservação da espécie e a ética da criação em massa. E há ainda quem garanta que eles são alienígenas.

O polvo-comum, da espécie O. vulgaris, é encontrado em todo o mundo. À medida que é cada vez mais apreciado na culinária, sua criação para fins comerciais levanta questões sobre seu bem-estar em cativeiro. / Foto de Greg Lecoeur, Nat Geo Image Collection

 

Este jovem polvo-comum do Atlântico foi fotografado no Centro Biomarinho de Pescanova, o laboratório de pesquisa e desenvolvimento da multinacional espanhola no ramo de frutos do mar, que desenvolve a aquicultura de polvos. / Foto de Ricardo Tur

Em um laboratório úmido e escuro perto do vilarejo de Sisal, em Yucatán, México, Carlos Rosas Vázquez ergue uma das dezenas de pequenas conchas em um tanque de plástico preto. Ele força o cauteloso ocupante a sair e subir em sua mão. Um polvo do tamanho de um camundongo, com tentáculos que se parecem fios entrelaçados, fantasmagoricamente pálido, exceto pelos grandes olhos negros, se contorce sobre a palma de sua mão e se enrosca em seus dedos. Até mesmo Rosas, biólogo da Universidade Nacional Autônoma do México, que trabalha há anos transformando criaturas como essa em mercadorias rentáveis, se deleita com a elegante capacidade de seus tentáculos. “Maravilloso!”, ele diz em voz baixa.

Em todo o mundo, os polvos são objetos de desejo e admiração. Agora, eles estão se tornando alvos de uma questão ética à medida que pesquisadores como Rosas descobrem maneiras de viabilizar a criação comercial de polvos e, alegam, aliviar a crescente pressão sobre as populações silvestres. Isso não é bom, afirma um novo contingente de críticos: a criação de polvos em cativeiro vai esgotar ainda mais os ecossistemas marinhos e atormentar desnecessariamente esses invertebrados que são extremamente sensíveis e inteligentes.

Há tempos um alimento básico da culinária mediterrânea e do leste asiático, o polvo (pulpo em espanhol, tako em japonês) agora é uma iguaria global, impulsionada pela popularidade dos sushis, tapas e pokes, e pelo desejo por proteínas de alta qualidade. A demanda e os preços subiram nos últimos anos, mesmo com uma menor quantidade de polvos sendo capturados em locais que tradicionalmente capturam grandes quantidades do pescado, como a Espanha e o Japão, e com os oceanos mais quentes e mais ácidos ameaçando ainda mais a população desses animais.

À primeira vista, portanto, esses donos de tentáculos saborosos parecem prontos para a aquicultura. Para muitas pessoas, porém, os polvos significam muito mais do que pratos saborosos. “As pessoas têm esse estranho caso amoroso com os polvos”, conta o biólogo Rich Ross, da Academia de Ciências da Califórnia, em São Francisco, EUA. “Conheço pessoas que nunca os comeriam, mas não têm problema nenhum em comer porcos, e diversas evidências indicam que os porcos são muito inteligentes.”

Como se isso não bastasse, parece que os polvos não são deste planeta. Cientistas afirmam que os polvos são na verdade alienígenas, e foram trazidos à Terra por meteoros. E não foram dois ou três cientistas que assinaram o artigo que defende essa ideia: são 33 deles, de 23 universidades e centros de pesquisas localizados em 12 países.

É claro que grandes ideias exigem grandes demonstrações – e, admita, a proposta de que ovos de polvo congelados chegaram na Terra a bordo de um meteoro 540 milhões de anos atrás parece ser uma ideia das grandes.

A equipe ainda não tem nenhum indício real da origem extraterrestre dos polvos e seus parentes. Ou seja, nenhum ovo de polvo – e nem qualquer outra coisa que se assemelhe a uma forma de vida – foi encontrado em um meteoro. Mas os cientistas acreditam que já há elementos suficientes para, pelo menos, sustentar sua hipótese

 

Leia na íntegra:

O mundo quer comer mais polvo, mas criá-los em cativeiro é ético?  

https://www.nationalgeographicbrasil.com/animais/2020/02/polvo-cativeiro-etica-criacao-culinaria-conservacao-pesca-comportamento

 

Leia também na íntegra:

Polvos são alienígenas e chegaram a bordo de cometas, dizem cientistas

https://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=polvos-alienigenas-chegaram-bordo-cometas&id=010130180606#.XzVEUH57mUl

 

Como o polvo produz tinta?

 https://super.abril.com.br/mundo-estranho/como-o-polvo-produz-tinta/

 

Receita:

Massa Fresca tipo Espaguete com Ragu de Polvo e Frutos do Mar

https://gshow.globo.com/receitas-gshow/receitas/massa-fresca-tipo-espaguete-com-ragu-de-polvo-e-frutos-do-mar-10decc1e-1991-4a43-8510-a5f967e85b75.ghtml

 

Veja também

UMA PRAIA, UMA GAROTA, UM TUBARÃO

A praia é deslumbrante: uma baía pequena e isolada, com ondas de um azul-turquesa cristalino ...

FIGHT CRAB

Personagens com garras longas podem sim ter uma vantagem em combates contra personagens que se ...

UM CHEIRO DE DECADÊNCIA

Na beira do cais não se fala em outra coisas: a pesca do  Rio de ...