BOLA ROLANDO

BOLA ROLANDO

 

A Copa da Rússia 2018 chegou e o Brasil ainda não terminou 41 obras da Copa de 2014. É o que informa uma reportagem da BBC News Brasil. E mete o dedo na ferida: “a derrota no estádio do Mineirão ficou na memória coletiva dos brasileiros. Mas há um outro ‘7 a 1’ cujos efeitos são sentidos até hoje: dezenas de obras planejadas para o mundial de futebol de 2014 continuam inconclusas em 10 das 12 cidades que sediaram jogos naquele ano. Baseada em dados de governos estaduais, prefeituras e da Controladoria-Geral da União (CGU), a BBC News Brasil encontrou pelo menos 41 obras ainda inacabadas, paralisadas ou mesmo abandonadas.”

Isso lembra os Terminais Públicos Pesqueiros que iam garantir a infraestrutura da pesca brasileira e um futuro radiante aos trabalhadores do mar. Esqueceram? Pois o Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) divulgou em novembro de 2017 o resultado da avaliação da implantação de Terminais Pesqueiros Públicos (TPP), que, à época dos exames, estava sob a responsabilidade do então Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), mas cuja gestão foi transferida, em março deste ano, para o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). O objetivo do trabalho foi verificar se os TPPs são construídos ou reformados em cumprimento à legislação; se operam conforme especificações técnicas e sanitárias; e se auxiliam na ampliação e desenvolvimento da pesca.

As conclusões não foram nada animadoras. Foi como substituir a bola do jogo por  um baiacu. Pode até ser, mas não funciona.

Leia mais, em breve, no número 175 da revista Pesca & Mar

Veja também

PESCANDO COM BOTO E BIGUÁ

Cultura que envolve a pesca com o boto tem mais de 100 anos e ganha ...

PEIXE VIVO

Peixes são retirados vivos de escombros do incêndio do Museu Nacional. Animais viviam em chafariz ...