TAINHA 2018: RECORDES DE CAPTURA

TAINHA 2018: RECORDES DE CAPTURA

Pescadores fazem a maior captura de tainha do ano do Sul de SC. Expectativa é de 100 toneladas de tainha nesta safra, segundo pescadores artesanais.

Pescadores artesanais do Sul catarinense estão comemorando a pesca de 12 toneladas de tainha em Balneário Rincão no dia 19 de junho. “Trabalhamos o mês inteiro para pegar pouco peixe e hoje veio bastante”, disse o pescador Alan Delon. Essa foi a maior captura de peixes do ano daquela região.

A temporada da pesca da tainha vai até o fim de julho. “A felicidade é grande, se Deus quiser, vai vir mais ainda”, disse Alan.

Os pescadores chegaram à praia às 6h e à tarde ainda estavam tirando as tainhas das redes. ”Isso é uma alegria total para o pescador, porque ele espera um ano por isso e agora ele está tirando a recompensa dele”, afirmou o pescador Adelair Guimarães.

As primeiras semanas da pesca da tainha não foram boas para esses trabalhadores, pois o clima quente prejudicou a captura de peixes. Agora, com a volta do frio e com o vento favorável, eles esperam que a pesca continue farta até o fim da temporada.

“Dependia muito do frio. Agora o peixe, com certeza, vai continuar na nossa região e aí o nosso pescador vai aproveitar para capturar e ver se a gente consegue ultrapassar aquele limite que a gente estava esperando que é de 100 toneladas para este ano”, declarou João Picollo, presidente da Colônia de Pescadores.

Recorde no Retiro dos Padras –  Os pescadores artesanais da praia do Retiro dos Padres, em Bombinhas, baterem, no dia 14 de junho, o recorde desta safra na pesca da tainha. Foram 17,8 mil peixes capturados num só arrasto.

O cerco aconteceu no início da manhã e somente no finalzinha da tarde é que os pescadores terminaram de contar, separar, distribuir e embarcar as tainhas nos caminhões dos atravessadores.

Além da quantidade de peixes, o que também chamou a atenção foi o tamanho das tainhas. “É um peixe muito, mas muito grado mesmo. Foi uma cercada linda”, comenta o pescador Rafael Mafra, que participou do cerco, que lá em Bombinhas é chamado de saragaço.

Se contar com arrastos ocorridos nas praias da Sepultura e de Bombinhas, também no município de Bombinhas, mais um lanço na praia do Estaleirinho, o número de tainhas capturadas nesses dois dias chegou perto das 24 mil unidades.

Tainha trancada – A temporada de pesca industrial da tainha teve tempo recorde este ano. Em reunião no dia 9 de junho, os armadores decidiram encerrar a safra ao final da noite do dia seguinte. Em 10 dias, as 37 embarcações licenciadas para capturar o pescado no Sul e Sudeste brasileiro atingiram o limite de sua cota de captura. No total, as empresas foram liberadas a capturar 2.221 toneladas do peixe.

A decisão dos armadores da pesca industrial em Santa Catarina de “trancar a captura de tainhas”, capitaneada pelo presidente da Câmara do Cerco no Sindipi, Agnaldo Hilton dos Santos, demonstra a boa vontade do setor em alinhar as práticas a uma política mais sustentável de gestão pesqueira. Um importante sinal de que existe no setor produtivo a preocupação com a manutenção dos estoques.

            Leia mais, em breve, no número 175 da revista Pesca & Mar.

Veja também

UMA PRAIA, UMA GAROTA, UM TUBARÃO

A praia é deslumbrante: uma baía pequena e isolada, com ondas de um azul-turquesa cristalino ...

O BARQUINHO

    No início deste ano, atendendo a um pedido de dois garotos escoceses, os ...

ONDE ESTÁ O PEIXE?

 Quantos animais você consegue ver nessa imagem. Só os mais inteligentes alcançam ver mais de ...