ERNST HAECKEL E O ART NOUVEAU

Anêmonas marinhas pintadas por Haeckel para seu livro Kunstformen der Natur, 1904

Os radiolários são um grupo de protozoários marinhos. Sob o olhar de Ernst Haeckel, eles viraram arte / Crédito: “Kunstformen der Natur”, 1904.

 

Discomedusae: a arte de Haeckel / Crédito: “Kunstformen der Natur”, 1904.

 

Crédito: Linnean Society

 

Ernst Heinrich Philipp August Haeckel (1834-1919) foi um zoólogo, naturalista, filósofo, médico, professor anatomista e artista alemão muito importante para a história recente da biologia e teoria da evolução. Embora fosse um excelente anatomista de espécies de invertebrados seu trabalho mais famoso foi com o grupo Radiolaria, focado em biologia marinha. Muitos conceitos atuais da biologia foram cunhados por ele; outros, especulativos que ele defendeu, hoje são considerados incorretos.

O importante aqui é que Haeckel era também uma espécie de gênio quando se tratava de arte e design. Entre 1899 e 1904, ele publicou uma série de livretos intitulada “Kunstformen der Natur” (Formas de arte na natureza), uma coleção de deslumbrantes ilustrações que moldariam a linguagem estilística do movimento “art nouveau”. O oceano, visto através do microscópio, era uma de suas fontes de inspiração, talvez a principal.

Para José Milton, esse trabalho maravilhoso forneceu inspiração para gerações de artistas e cientistas, sendo que, “em termos de identificação de padrões de caos, há algo de psicodélico no grafismo de Haeckel, uma qualidade quase fractal. Muito antes de 1960, seu estilo já era considerado um precursor do movimento art nouveau, que incluiu alguns luminares como Klimt, Gaudí e Rennie Mackintosh, entre outros.”

Andrea Wulf, em seu livro “A Invenção da Natureza” (São Paulo: Planeta, 2016) escreve sobre a influência das ilustrações de Haeckel sobre outros artistas: “Esses movimentos e linhas orgânicos deram à art nouveau seu estilo particular. Na primeira década do século XX, em Barcelona, o arquiteto catalão Antoni Gaudí ampliou os organismos marinhos de Haeckel em balaústres e arcadas. Gigantescos ouriços-do-mar decoravam seus vitrais, e os imensos lustres que ele desenhava eram parecidos com conchas de moluscos. Enormes amontoados de algas entrelaçadas e invertebrados marinhos davam forma às salas, escadarias e janelas de Gaudí. Do outro lado do Atlântico, nos Estados Unidos, Louis Sullivan, o chamado ‘pai dos arranha-céus’, também recorreu à natureza em busca de inspiração. Sullivan havia adquirido diversos livros de Haeckel e acreditava que o art nouveau criava uma união entre a alma do artista e a da natureza. As fachadas de seus edifícios eram decoradas com motivos estilizados da flora e da fauna. O designer norte-americano Louis Comfort Tiffany também foi influenciado por Haeckel. As qualidades diáfanas quase etéreas das algas e águas-vivas faziam delas modelos perfeitos para objetos de vidro. Medusas ornamentais pendiam dos vasos de Tiffany, cujo estúdio chegou a produzir um colar ‘água-viva’ em ouro e platina.”

 

As formas de arte da Natureza

http://www2.uol.com.br/sciam/noticias/as_formas_de_arte_da_natureza.html

Ernst Haeckel, el naturalista que inspiró el ‘art nouveau’

 http://www.milenio.com/cultura/ernst-haeckel-naturalista-inspiro-art-nouveau

Art nouveau owes a lot to this dodgy German biologist and his dazzling illustrations

https://www.spectator.co.uk/2017/09/the-dodgy-german-biologist-whose-dazzling-illustrations-influenced-art-nouveau/

Djavan Sina Art Nouveau

 https://www.youtube.com/watch?v=_sRYwj3WTDc

 

 

 

Veja também

MUSEU DO AMANHÃ

O Museu do Amanhã, na Praça Mauá, Zona Portuária do Rio, será aberto ao público ...