NÃO SE PODE SERVIR A DOIS SENHORES

NÃO SE PODE SERVIR A DOIS SENHORES

Bolsonaro retira Ministério do Meio Ambiente da gestão da pesca. O secretário nacional de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Junior diz que não se trata de reduzir o controle ambiental sobre a pesca, mas de diminuir a burocracia e a lentidão de processo.

O secretário nacional de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Junior disse que era prejudicial à secretaria estar submetida à aprovação de “um órgão que tem poder de polícia ambiental” e “ótica radical”. Todas as decisões relacionadas à pesca precisavam, até então, ser assinadas também pelo ministro do Meio Ambiente / Crédito: Jorge Seif Júnior – RICTV/Reprodução/ND

 

Além de burocracia e lentidão, o cabo de guerra entre produção e preservação era um entrave para o desenvolvimento das atividades de aquicultura e pesca no país / Imagem: Pngtree

 

Produção e Preservação: divorciados, mas caminhando lado a lado rumo ao desenvolvimento sustentável / Imagem: nepo.com.br

 

Em meio às medidas provisórias e decretos na arrancada do novo governo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) deu fim à gestão compartilhada da Secretaria Nacional de Aquicultura e Pesca com o Ministério do Meio Ambiente (MMA). A decisão atende a um pedido do setor produtivo, que tradicionalmente questiona as restrições impostas pelo MMA.

Entidades ligadas à preservação ambiental ainda avaliam se a mudança poderá trazer algum prejuízo à sustentabilidade. Por enquanto, a manutenção do Ministério do Meio Ambiente nos ambientes de discussão do setor pesqueiro, como os comitês de gestão das espécies, é vista como um bom indicativo.

O secretário nacional de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Junior diz que não se trata de reduzir o controle ambiental sobre a pesca, mas de diminuir a burocracia e a lentidão de processos. Em entrevista à coluna, disse que era prejudicial à secretaria estar submetida à aprovação de “um órgão que tem poder de polícia ambiental” e “ótica radical”. Todas as decisões relacionadas à pesca precisavam, até então, ser assinadas também pelo ministro do Meio Ambiente.

Com a mudança de governo a pesca, que estava submetida ao Gabinete da Presidência da República, passou a responder ao Ministério da Agricultura. A decisão de Bolsonaro está de acordo com a anunciada política de afrouxar o controle ambiental sobre a atividade produtiva no Brasil.

SAPERJ – Essa separação vinha sendo pedida há décadas pelo Saperj. Na edição de julho/agosto de 2018, número176 da revista Pesca & Mar, o presidente Alexandre Guerra Espogeiro escreveu em seu editorial: “Há anos venho dizendo aqui que não se pode servir a dois senhores. Isso é bíblico, mas devia ser uma postura administrativa. A pesca não pode continuar sendo assombrada por essa contradição, por essa luta de poder, por esse cabo de guerra. O setor pesqueiro e aquícola precisa se livrar dessa sombra para poder brilhar com luz própria.”

Pois é. Sonhos se realizam. Preces são atendidas. Batalhas são vencidas. A vida, o mar, a pesca continuam.

 

Pesca e Meio Ambiente: fim da gestão compartilhada
https://www.nsctotal.com.br/colunistas/dagmara-spautz/bolsonaro-retira-ministerio-do-meio-ambiente-da-gestao-da-pesca

Posse o Secretário Jorge Seif Junior
https://panoramadaaquicultura.com.br/jorge-seif-junior-toma-posse-na-secretaria-nacional-de-pesca-e-aquicultura-do-mapa/

Palavra do Presidente 176
http://www.saperj.com.br/?p=5452

Veja também

UMA PRAIA, UMA GAROTA, UM TUBARÃO

A praia é deslumbrante: uma baía pequena e isolada, com ondas de um azul-turquesa cristalino ...

MARINHA DO BRASIL: ECONOMIA AZUL

A Economia Azul desponta como a nova fronteira da economia mundial. Ela se baseia no ...

MULTA DE MEIO MILHÃO

“Multa de meio milhão por dia! É pauleira. Paulada em cachorro vira-lata. Pra aleijar. O ...