A VERDADE DA SARDINHA

Pesca da sardinha é liberada no litoral fluminense. Pesca, comercialização e transporte voltam a ser permitidos no Sudeste do país.


A expectativa dos pescadores é encher os tabuleiros e aumentar os números na balança / Imagem: RJTV
A rede cheia de sardinhas é puxada de volta ao barco e a tripulação faz o trabalho de retirada / Imagem: Lucas Amorelli/UOL

Terminou à meia noite de 1 de agosto o período de defeso da sardinha-verdadeira (Sardinella brasiliensis), historicamente a espécie mais pescada no litoral fluminense, de acordo com dados da Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Fiperj). A pesca da sardinha-verdadeira é regulamentada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), através da Instrução Normativa (IN) nº 15, de 2009.

Com o objetivo de permitir a recuperação dos estoques, a paralisação da captura da sardinha-verdadeira no Sul e Sudeste ocorre anualmente em dois períodos. O defeso de 01 novembro a 15 fevereiro é para proteger a reprodução. Já os 45 dias entre junho e julho é para garantir o tempo necessário para que os juvenis possam atingir 17 centímetros, tamanho mínimo de captura estabelecido na lN.

Segundo dados do Monitoramento da Pesca no Estado do Rio de Janeiro, o fim do período de defeso da espécie possibilitou a oferta deste pescado no mercado interno do Rio de Janeiro. No mercado atacadista do CEASA RJ, a sardinha-verdadeira foi encontrada em abundância, sendo comercializada com preços entre R$ 2,50 e R$ 5,00 o quilo, dependendo do tamanho dos exemplares. Diferentemente do mesmo período do ano passado, quando atingiu preços entre R$ 4,00 e R$ 8,00/kg.

Segundo dados do Monitoramento da Pesca no Estado do Rio de Janeiro – Estatística Pesqueira, de outros Programas de Monitoramento da Pesca, como os realizados pela UNIVALI e o Instituto de Pesca de Santos, e do Projeto Sardinha (FIPERJ, UNIVALI, UFF, UFPR e USP), apesar dos períodos de defeso estabelecidos, a pescaria da espécie está em colapso, atingindo valores próximos a 18.000t produzidas em 2018 em todo o Sudeste e Sul, cerca de 80% inferior à produção registrada no ano de 2014.

Este panorama trouxe reflexos negativos em toda a cadeia produtiva, e os fatores que influenciaram esta queda de produção vem sendo avaliados pelo Projeto Sardinha, financiado pelo FUNBIO.

Fonte:

http://www.fiperj.rj.gov.br/index.php/noticia/detalhe/1081

Defeso da sardinha chega ao fim e pesca é liberada na Costa Verde do Rio

http://g1.globo.com/rj/sul-do-rio-costa-verde/videos/t/todos-os-videos/v/defeso-da-sardinha-chega-ao-fim-e-pesca-e-liberada-na-costa-verde-do-rio/7811616/

Veja o caminho da sardinha do mar até a lata

https://economia.uol.com.br/album/2016/11/07/veja-o-caminho-da-sardinha-do-mar-ate-a-lata.htm?mode=list&foto=1

Veja também

UMA PRAIA, UMA GAROTA, UM TUBARÃO

A praia é deslumbrante: uma baía pequena e isolada, com ondas de um azul-turquesa cristalino ...

O PEIXE DENTRO DE NÓS

Somos todos Filhos de Gaia, da Mãe Terra, o verme, o peixe, o tigre, o ...

FÁBIO HAZIN E O MONITORAMENTO DE TUBARÕES

“Já aconteceu de marcarmos tubarões em Fernando de Noronha e sua marca ser recuperada na ...