CIDADES PROVISÓRIAS

Roma é a Cidade Eterna. Paris a Cidade Luz. Mas existem cidades que são provisórias, duram um breve instante, brilham como vagalumes e se apagam. Burning Man é uma delas. A Cidade do Rock é outra. Woodstock é uma cidade que só ficou na memória. Nesses tempos nômades  e migrantes talvez elas sejam elas sejam a solução, as cidades provisórias.

Burning Man: uma baleia no céu, não uma balela / Crédito: Blake Marcus, Chris Welch, Seven / 2019

,,]

Outra baleia / Crédito: Burning Man 2019 – Reprodução: Instagram

Uma visão panorâmica / Crédito: Burning Man 2019 – Reprodução: Instagram

Essa é uma foto da cidade de 2012 / Crédito: Burning Man.

;;;

Até a próxima cidade / Crédito: Burning Man 2019 – Reprodução: Instagram

A cidade em chamas / Crédito: Burning Man 2019 – Reprodução: Instagram

Cidade do Rock: Mapa da edição 2019 do Rock in Rio, no Parque Olímpico do Rio de Janeiro (RJ) — Foto: Divulgação/Rock in Rio

….

Mal sabiam os moradores de Bethel que a pequena cidade, em 1969, seria palco do festival de música mais épico do século 20 . Quem foi a Woodstock experimentou drogas, sexo, a textura da lama, a falta de estrutura em um megaevento e a indescritível sensação de ter feito parte de um momento histórico / Crédito: Megacurioso

Woodstock 1969: um cidade na memória / Crédito: Michael Ochs Archives/Getty Images

,,,

Está na Wikipedia. Mas também em outros lugares. Ficamos aqui. Burning Man é um evento de experimento social colaborativo e de comunidade, podemos dizer também que é um evento de contracultura, realizado anualmente desde 1986 em Black Rock Desert, no estado americano de Nevada, costuma atrair mais de 50 mil pessoas.

Costuma-se dizer que o “Burning Man” não é um típico Festival. E sim, uma metrópole participativa construída por seus cidadãos.

O Festival conta com uma grande galeria de arte a céu aberto, chamada de “Playa”. Em seu centro, há uma escultura gigante de madeira denominada “Burning Man”. Essa escultura remete ao surgimento do festival que se iniciou com dois amigos, Larry Harvey e Jerry James, que juntos, improvisaram um homem de madeira em Baker Beach, São Francisco, durante o solstício de verão e depois o queimaram, com algumas pessoas presentes participando do momento, surgiu a ideia de que repetissem o ato no ano seguinte. E assim deu início ao Festival, que acabou se repetindo todo ano, cada vez com um número maior de pessoas.

Pessoas nuas com os corpos pintados, carros decorados, barracas enfeitadas, instalações gigantescas, sol forte, isto é o Burning Man, um festival anual que acontece no deserto de Nevada todos os anos. A proposta é ser um evento onde todos são encorajados a se expressarem. Não importa o que você faça, desde que seja criativamente.

Existem vários boatos sobre o que é o Burning Man:  alguns dizem que é um festival pagão, outros pensam que é o Woodstock dos anos 90 ou um festival hippie onde tudo é permitido. Mas a verdadeira intenção do evento é ser um fenômeno populista propagado pela Internet, considerado por muitos como um experimento social. ]          Em 1990, o ato de queimar o homem de madeira foi impedido pela polícia do local, o que os obrigou a procurar um outro local. Em 1991, decidiram realizar a queima no meio do deserto de Black Rock, 120 milhas ao norte de Reno, no estado de Nevada, EUA. Desde então, o evento passou a ser realizado no local, que mostrou-se perfeito para a ocasião, uma vez que, distante da cidade, não perturbava a ninguém e permitia mais liberdade. Black Rock é organizada inteiramente por voluntários e possui uma infraestrutura especialmente planejada e desenhada, assim como serviços comunitários essenciais como emergência e segurança: apenas o necessário para garantir o funcionamento do Festival e a sobrevivência das pessoas.

Todos no Festival são participantes ativos em todos os sentidos. A cidade é criada por seus “cidadãos” e isso inclui todas as formas de interação, arte e performances a fim de que todos vivam e sintam ao extremo a experiência do “Burning Man. A participação é o princípio do Festival.

Uma das principais obras de arte do Burning Man, (além da “Man”) é “O Templo”. A obra é inaugurada por um abraço coletivo. Ao longo do Festival, os participantes deixam na obra, mensagens, fotos, objetos pessoais e lembranças de pessoas que se foram. Ao final do evento, o último ato do festival, é a queima do Templo, acredita-se que a fumaça da queima leve para longe o sofrimento e o desejo causado pelas pessoas perdidas.

Woodstock 1969 –  Planejado para um público de 200 mil pessoas, estima-se que 500 mil assistiram aos shows de artistas renomados como Hendrix, The Who e Janis Joplin.

O nome oficial do festival era Feira de Artes e Música de Woodstock. Foi organizado por um grupo de quatro empresários liderados pelo promotor de eventos Michael Lang.

Eles estavam querendo faturar em cima do sucesso de eventos parecidos que começavam a agitar os EUA e a Europa como, por exemplo, o Festival Pop de Monterey que, em 1967, colocou no palco artistas e bandas de sucesso, entre eles Simon and Garfunkel, The Who e Jimi Hendrix.

Lang e companhia conceberam o evento para 200 mil pessoas e, mesmo depois de venderem 186 mil ingressos antecipados, vendidos a cerca de US$ 18 (o equivalente a US$ 120 em valores de hoje) achavam que não iria aparecer muito mais gente.

Já era um público muito mais ambicioso que o de eventos anteriores. Monterey, por exemplo, teve uma plateia bem menor – entre 7 mil e 10 mil pessoas tiveram acesso à arena onde aconteceram os shows.

Estima-se que 500 mil pessoas foram à área do festival de Woodstock que, curiosamente, fica numa fazenda de laticínios na cidade de Bethel, a 70 quilômetros a sudoeste de Woodstock.

O grande número de pessoas acabou transformando Woodstock, originalmente pensado para ser um negócio lucrativo, em um evento gratuito.

Para se ter uma ideia de quão grande era essa multidão, o local do festival tornou-se temporariamente a terceira “cidade” mais populosa do Estado de Nova York.

O “jubileu de ouro”, marcado para comemorar o aniversário de 50 anos este ano, não passou de um plano que não saiu do papel. O evento foi cancelado em 31 de julho. Woodstock é uma cidade que não se repete.

Cidade do Rock – Está rolando. É a prova do que o Rio ainda existe.

Divulgadas as primeiras imagens do festival Burning Man 2019
https://www.archdaily.com.br/br/923940/divulgadas-as-primeiras-imagens-do-festival-burning-man-2019

Burning Man 2019: Sneak Peek At This Years Outrageous Art Installations
https://www.forbes.com/sites/jimdobson/2019/07/13/burning-man-2019-sneak-peak-at-this-years-outrageous-art-installations/#5fea93d77485

Burning Man agita o deserto de Nevada, nos EUA, e reúne celebridades
https://www.metropoles.com/colunas-blogs/claudia-meireles/burning-man-agita-o-deserto-de-nevada-nos-eua-e-reune-celebridades

 

Rock in Rio terá arena com projeções especiais na Cidade do Rock
https://globoplay.globo.com/v/7940324/

Woodstock, O Festival Que Marcou Uma Geração Revolucionária.

Joni Mitchell – Woodstock (Live In-Studio 1970)

Crosby, Stills, Nash & Young – Woodstock

 Jimi Hendrix – National Anthem U.S.A (Woodstock 1969)

Joe Cocker – With A Little Help From My Friends 1969 in Woodstock

 

Borges: As Ruínas Circulares
http://imagomundi.com.br/arte/borges_ruinas.pdf

Veja também

UMA PRAIA, UMA GAROTA, UM TUBARÃO

A praia é deslumbrante: uma baía pequena e isolada, com ondas de um azul-turquesa cristalino ...

A BALSA DO SEXO

A ‘balsa do sexo’, um dos experimentos mais estranhos de todos os tempos. Em 1973, ...

PESCA SUSTENTÁVEL NA AMÉRICA LATINA E NO MUNDO

O quarto encontro da Aliança Latino-Americana de Pesca Sustentável e Segurança Alimentar, realizado em Mar ...