PESCA SUSTENTÁVEL NA AMÉRICA LATINA E NO MUNDO

O quarto encontro da Aliança Latino-Americana de Pesca Sustentável e Segurança Alimentar, realizado em Mar del Plata, foi marcado por uma apaixonada defesa do setor pesqueiro industrial contra as ondas de ataques e desinformações que visam degradar uma das mais antigas, respeitáveis e essenciais atividades da história humana.

O encontro da ALPESCAS debateu a redução da pesca incidental, áreas marinhas protegidas, certificação ecológica da produção pesqueira, entre outros temas / Crédito: Saperj
A meta é apoiar programas de segurança alimentar e pesquisa de recursos pesqueiros que contribuam para a sustentabilidade da pesca / Imagem: CodeVerde

A ALPESCAS  (Aliança Latino-Americana de Pesca Sustentável e Segurança Alimentar (Alianza Latinoamericana por la Pesca Sustentable y la Seguridad Alimentaria) é composta por entidades empresariais da Argentina, Chile, México, Equador, El Salvador, Peru, Brasil, Costa Rica, Colômbia. Seus representantes empresariais debateram sobre os desafios da pesca ao lado de pesquisadores e pescadores em seu quarto encontro, realizado em Mar del Plata. O Conepe (Coletivo Nacional de Pesca) foi representado por seu  presidente, Alexandre Guerra Espogeiro.

As autoridades presentes concordaram em resgatar os valores da indústria pesqueira. Nesse sentido, destacaram as contribuições da atividade em termos econômicos, de emprego e alimentação nas diferentes comunidades em que está inserida, etc.

Entre os temas debatidos, a preocupação gerada pelos discursos radicalizados de alguns grupos ambientalistas sobre arrastões e o estabelecimento de Áreas Marinhas Protegidas como uma suposta alternativa a ser superada.

“Os desafios atuais exigem a cooperação de diferentes organizações pesqueiras e a coordenação de iniciativas internacionais para continuar avançando na sustentabilidade ambiental, econômica e social”,  alertou o presidente da Câmara Argentina de Armadores de Navios Pesqueiros, Diego García Luchetti.

O dirigente lembrou que, há quarenta anos, a exigência dos padrões sanitários HACCP ( Hazard Analysis and Critical Control Point, em inglês; Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle, APPCC, em português), começou a se expandir e se tornou realidade. A idéia de garantir a sustentabilidade dos recursos pesqueiros também vem predominando por mais de vinte anos e alcançará a sua meta.

“Sabemos que há uma desconfiança em relação ao setor pesqueiro, que aumentou devido a campanhas internacionais de ONGs e desinformações. Hoje, mais do que nunca, precisamos repensar e ver essa crise como uma oportunidade para desenvolver novas soluções”, acrescentou Osciel Velásquez, da Sonapesca Chile, e presidente da ALPESCAS.

Um pequeno passo: as empresas já estão promovendo a reciclagem de redes e plásticos no final de sua vida útil, cooperando para tornar o uso de energia mais eficiente e abordando soluções para mitigar a captura incidental de espécies ameaçadas ou não comercializadas. (O especialista Ben Robert Kneppers, co-fundador da Bureo Inc. nos Estados Unidos, ficou encarregado de exibir óculos de sol e bonés produzidos com equipamentos de pesca descartados.)

“Temos que nos unir para mostrar o que é a pesca, como ela produz. Não somos predadores, temos pescas sustentáveis ​​e empresas que investem, geram empregos e alimentos saudáveis. Há uma parte do ambientalismo com a qual é muito difícil trabalhar. Há muita ignorância. A aliança público-privada será fundamental para enfrentar esses desafios ”, afirmou o subsecretário de Pesca e Aquicultura da Argentina,  Juan Bosch.

No evento, a ALPESCAS e a  ICFA (International Coalition of Fisheries Associations / Coalizão Internacional de Associações de Pesca) – que representa o setor de pesca na Austrália, Canadá, Dinamarca, França, Islândia, Japão, Holanda, Nova Zelândia, Noruega, Peru, Espanha, Taiwan e Reino Unido –  assinaram um memorando de entendimento (MoU) com  o objetivo de apoiar programas de segurança alimentar e pesquisa de recursos pesqueiros que contribuam para a sustentabilidade da pesca. Também serão promovidas ações no âmbito da Agenda 2030 da ONU para o Desenvolvimento Sustentável, com atenção especial ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU Número 14 (ODS 14) para a conservação e o uso sustentável dos oceanos, mares e recursos marinhos.

Cumbre Alpescas: encendida defensa del sector y llamado a extender la unidad

https://www.pescare.com.ar/cumbre-alpescas-encendida-defensa-del-sector-y-llamado-a-extender-la-unidad/

Alpescas e ICFA firmaron acuerdo de pesca sustentable y seguridad alimentaria

http://codexverde.cl/alpescas-e-icfa-firmaron-acuerdo-de-pesca-sustentable-y-seguridad-alimentaria/

 Alianza Latinoamericana para la seguridad alimentaria a través de la pesca sustentable

https://alpescas.com/

 International Coalition of Fisheries Associations

https://www.aboutseafood.com/international-coalition-of-fisheries-associations-3/

From the sea to the street, sustainable skateboards from Bureo

https://www.livingcircular.veolia.com/en/eco-citizen/sea-street-sustainable-skateboards-bureo

Objetivo 14. Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável

https://nacoesunidas.org/pos2015/ods14/

ALPESCAS e reflexões sobre Áreas Marinhas Protegidas

http://www.conepe.org.br/noticias/93

Veja também

UMA PRAIA, UMA GAROTA, UM TUBARÃO

A praia é deslumbrante: uma baía pequena e isolada, com ondas de um azul-turquesa cristalino ...

A BALSA DO SEXO

A ‘balsa do sexo’, um dos experimentos mais estranhos de todos os tempos. Em 1973, ...

DIA DA AMAZÔNIA AZUL

Anualmente, desde 2015, a Marinha do Brasil comemora em 16 de novembro o Dia Nacional ...