PEIXE DE LABORATÓRIO – SAPERJ

PEIXE DE LABORATÓRIO

A Finless Food quer transformar o mercado com peixes feitos em laboratório.  A startup, criada por Michael Selden e Brian Wyrwas, usa bioquímica para desenvolver a proteína e planeja comercializar produtos até o final de 2020

.

Em junho de 2018, a Finless Food, acelerada pela IndieBio, recebeu um investimento de US$ 3,5 milhões em uma rodada liderada pela Draper Associates. O aporte já está sendo usado para alcançar algumas metas: estar no mercado até o final de 2020 e ter sashimis prontos em 2022. A startup planeja enviar os produtos para restaurantes, distribuidores e consumidores finais / Imagem: Mother Jones illustration; Getty

.

Croquetes de carpa, em setembro de 2017 / Imagem: Finless Foods

.

Carpa de laboratório numa frigideira / Imagem: Finless Foods

.

A startup Finless Food, fundada em 2017 por Michael Selden e Brian Wyrwas, tem um objetivo inovador: desenvolver carnes de peixes em laboratório. Com a produção de frutos do mar a partir de células, a empresa busca ajudar o meio ambiente, que sofre com escassez de recursos naturais. É o que informa  Isabella Carvalho, repórter da StartSe.

A startup desenvolve os peixes in vitro, em um processo em que as células são manipuladas e alimentadas com sais, açúcares e proteínas. O resultado é uma pasta de peixe, que também pode ser transformada em filés. Segundo Wyrwas, a ideia surgiu a partir da leitura de um artigo chamado “The Blood Harvest“, sobre um experimento em que pesquisadores substituíram o sangue de caranguejos usados em testes de farmacêuticas por uma substância sintética.

A partir disso, os empreendedores resolveram fazer o mesmo, mas com peixes. Com o método, a startup pretende quadruplicar a quantidade de proteína produzida hoje. O objetivo é desenvolver alimentos como sushis, sashimis e outros pratos já conhecidos pelos consumidores. “Conseguimos produzir atum azul de alta qualidade comparado com os melhores produtores do mundo”, disse Wyrwas.

Em junho de 2018, a Finless Food, acelerada pela IndieBio, recebeu um investimento de US$ 3,5 milhões em uma rodada liderada pela Draper Associates. O aporte já está sendo usado para alcançar algumas metas: estar no mercado até o final de 2020 e ter sashimis prontos em 2022. A startup planeja enviar os produtos para restaurantes, distribuidores e consumidores finais.

A empresa também pretende desenvolver espécies de peixes mais caras à preços acessíveis. “Cada vez mais pessoas estão entrando nessa área, como cientistas, empreendedores e investidores. O que queremos fazer é transformar a indústria”, ressaltou Wyrwas.

.

Finless Food quer transformar o mercado com peixes feitos em laboratório

https://www.startse.com/noticia/startups/65905/startup-finless-food-agrotech-biotech

Startup dos EUA promete “fazer qualquer tipo de peixe” a partir de células de peixe

https://br.financas.yahoo.com/noticias/startup-peixe-celulas-123557829.html

We Destroyed the Oceans. Now Scientists Are Growing Seafood in Labs.

https://www.motherjones.com/food/2019/12/we-destroyed-the-oceans-now-scientists-are-growing-seafood-in-labs/

Our method is simple. Instead of fishing, or harvesting living fish and seafood, we produce the same fresh fish proteins by growing high quality marine animal cells. It’s not “lab food,” it’s not vegetarian. It’s real, fresh fish.

https://finlessfoods.com/about/

Veja também

EMBARCANDO NA REAL

Precisamos decidir, para o bem de todos, que a pesca não tem nada a ver ...

UMA PRAIA, UMA GAROTA, UM TUBARÃO

A praia é deslumbrante: uma baía pequena e isolada, com ondas de um azul-turquesa cristalino ...

ARMADORES E INDÚSTRIA DA PESCA

Plano Safra 20/21 deixa de fora armadores e indústria da pesca. Aquicultores e pescadores têm ...

DATA MAGNA DA MARINHA

Em 11 de junho de 2020 foi comemorado os 155 anos da Batalha Naval do ...