GOLFINHOS DOIDÕES

Usando uma câmera de controle remoto disfarçada como uma tartaruga marinha, biólogos observaram jovens golfinhos ingerindo uma toxina liberada por um baiacu. Além disso, os golfinhos foram vistos passando-o ao redor.

Baiacus, quando provocados, protegem-se liberando tetrodotoxina, uma toxina que pode ser mortal. Mas os golfinhos parecem ter descoberto uma forma de fazer o peixe liberá-la na quantidade certa/ Imagem: Hypeness

Os cientistas perceberam diversos golfinhos nadando com baiacus na boca, mastigando o peixe e “passando” os baiacus para outros golfinhos / Foto: Hypeness
Em doses muito baixas, a tetrodotoxina causa dormência, formigamento e uma ligeira tontura, mas não altera mentes, que é o principal efeito que quem usa narcóticos busca. Mentes humanas. A conferir / Imagem: Hypeness

Usando uma câmera de controle remoto disfarçada como uma tartaruga marinha, biólogos observaram jovens golfinhos ingerindo uma toxina liberada por um baiacu. Além disso, os golfinhos foram vistos passando-o ao redor.

Baiacus, quando provocados, protegem-se liberando uma toxina que pode ser mortal. Mas os golfinhos parecem ter descoberto uma forma de fazer o peixe liberá-la na quantidade certa.

“Este foi um caso de jovens golfinhos propositadamente experimentando algo que sabemos ser intoxicante”, observou o zoólogo Rob Pilley. Depois de mastigar o baiacu e passá-lo de um para o outro, os golfinhos pareciam ter entrado em um estado de transe.

O comportamento foi gravado pelos criadores do documentário “Dolphins: Spy in the Pod”, uma série produzida para a BBC One.  O zoólogo e produtor da série Rob Pilley disse que essa é a primeira vez que golfinhos são registrados se comportando desta maneira. “Nós vimos os golfinhos lidar com o peixe de maneira muito suave e delicada, como se não quisessem perturbá-lo demais ou matá-lo. Como resultado, o peixe lançou toxinas. Os golfinhos então pareciam estar hipnotizados”.

As melhores cenas foram selecionadas de cerca de 900 horas de material bruto coletado ao longo de um ano em todo o mundo, incluindo EUA, Costa Rica, África do Sul, Argentina e Austrália. As imagens com o baiacu foram feitas em águas perto de Moçambique.

A equipe de filmagem também mergulhou cerca de 1.500 vezes, gastando cerca de 3.000 horas filmando o mar com as criaturas em todos os tipos de clima.

Vale lembrar, ainda, que não é certeza que os animais estavam se drogando, no “sentido humano” da palavra.  Alguns críticos argumentam que os golfinhos podem ter acidentalmente brincado com a pequena bombinha venenosa, mas não acreditam que eles usam a toxina regularmente para “ficar chapado”. Isso porque o veneno do baiacu não faz muito sentido como droga (e vamos ser honestos, se fizesse, os humanos já a estariam usando). Em doses muito baixas, a tetrodotoxina causa dormência, formigamento e uma ligeira tontura (que o fugu, a preparação japonesa de carne de baiacu cru, também causa), mas não altera mentes, que é o principal efeito que quem usa narcóticos busca.

Mentes humanas. A conferir.

Fonte: Hypeness; Revista Galileu: Magnus Mundi

Golfinhos ficam ‘viciados’ com veneno de Baiacu; veja vídeo

https://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/golfinhos-ficam-viciados-com-veneno-de-baiacu-veja-v%C3%ADdeo/ar-BBZ4IIU

 

 Golfinhos mascam Baiacu para ficarem “chapados”.

Veja também

EMBARCANDO NA REAL

Precisamos decidir, para o bem de todos, que a pesca não tem nada a ver ...

UMA PRAIA, UMA GAROTA, UM TUBARÃO

A praia é deslumbrante: uma baía pequena e isolada, com ondas de um azul-turquesa cristalino ...

PESCADORES E MARINHEIROS

Pescadores portugueses estão à beira de um ataque de nervos. Comandante do porta-aviões USS Theodore ...

A PESTE E AS RUÍNAS

A peste é o nosso calcanhar de Aquiles. A tragédia está batendo em nossa porta ...