NO RUMO CERTO – SAPERJ

NO RUMO CERTO

Nós estamos no mar há bastante tempo e sabemos que, no mar, não é possível ter certeza de nada, o mar é imprevisível. Se a gente fosse dono do futuro, a vitória estava garantida, só que não somos donos nem do mar nem do futuro.  Mas eu gostaria de dizer que sim, que tenho confiança e acredito que estamos no rumo certo. Que tudo vai melhorar,  e a pesca conseguirá superar todos os desafios que tem enfrentado durante tanto tempo. Leia a palavra de Alexandre Guerra Espogeiro, presidente do Saperj.

É bom ouvir: “É preciso transformar a pesca em indutora do desenvolvimento do país” / Imagem: Aleteia
É preciso transformar sonhos em realidade, palavras em ações / Imagem: Deposiphotos

Podemos afirmar que estamos sob nova direção e no rumo certo?  Podemos dizer que a pesca brasileira conseguiu, finalmente, uma representação reflete nossos desejos e a nossa vontade? Podemos garantir que escapamos do naufrágio e que estamos salvos?

Escrevi aqui que o ano passado  foi o melhor começo de ano do setor pesqueiro em todos os tempos. Por mais de não sei quantas décadas a pesca sempre foi comandada por alguém de cima ou de fora. Nos últimos anos, políticos que não sabiam colocar uma minhoca num anzol mandaram e desmandaram, fizeram e aconteceram, transformaram seus gabinetes em cabides de emprego e balcão de votos. Nada era certo ou confiável. As estatísticas eram chutes. Nem o seguro defeso era seguro.

Escrevi também  que é bom ter no comando da Secretaria de Aquicultura e Pesca alguém que fala a nossa língua, a língua da pesca. E, além disso, alguém em sintonia com as altas autoridades. “O jovem secretário Jorge Seif Junior é nosso barco. Temos que subir a bordo e, unidos, trabalhar lado a lado com ele como se não houvesse amanhã. Ele é a nossa chance. Talvez a nossa última chance. É agora ou nunca”, eu disse, talvez com um entusiasmo meio exagerado. Mas não me arrependo do tom de alegria e do voto de confiança. Muito pelo contrário.

O Secretário Seif tem se revelado um autêntico representante do setor pesqueiro. Sofreu ataques pesados e cerrados nos primeiros meses de sua missão. Ataques pessoais, daqueles que derrubam seu ânimo, minam sua energia, mancham sua dignidade. O Secretário Seif enfrentou o temporal com firmeza. Não deixou os ataques sem respostas. Manteve a calma, não se deixou abater, concentrou-se no seu trabalho. Provou que tem fibra para levar o seu barco para longe das pedras.

Em um evento recente , o Secretário  Seif   fez um breve balanço do seu primeiro ano de trabalho e projetou as próximas entregas. “Temos feito visitas em todo Brasil e conhecido as dores do setor, principalmente da aquicultura, maricultura, pesca industrial e pesca artesanal”, afirmou. Na verdade, ele também tem viajado pelo mundo, e é interessante ver a foto dele com o representante da pesca da Índia,  sob o olhar do Presidente da República. A pesca está bem na foto, e esse fato é novo: a pesca está com prestígio.

No artigo do começo do ano passado também escrevi:    “Com a mudança de governo, a pesca voltou para casa, sim, voltou para o Ministério da Agricultura, de onde nunca deveria ter saído.  Pois é. Sonhos se realizam. Preces são atendidas. Batalhas são vencidas. A vida, o mar, a pesca, a esperança, tudo isso continua.”

Nesse sentido, temos que comemorar a atuação da  ministra Tereza Cristina e aplaudi-la quando afirma que “é preciso transformar a pesca em indutora do desenvolvimento do país.”

A frase completa é a seguinte: “A nossa busca no Ministério da Agricultura é resultado. Não para nós, mas para as pessoas que vivem dessa atividade, da pesca, que ficou travada durante muitos anos. Não vamos aqui discutir porque que ficou, porque que deixou de ficar, mas que nós temos a missão de fazer dessa atividade, que é promissora no mundo, indutora de desenvolvimento e de receita”.

Voltando ao começo. Podemos afirmar que estamos sob nova direção e no rumo certo? Podemos dizer que a pesca brasileira conseguiu, finalmente, uma representação que reflete nossos desejos e a nossa vontade? Podemos garantir que escapamos do naufrágio e que estamos salvos?

Nós estamos no mar há bastante tempo e sabemos que, no mar, não é possível ter certeza de nada, o mar é imprevisível. Se a gente fosse dono do futuro, a vitória estava garantida, só que não somos donos nem do mar nem do futuro.  Mas eu gostaria de dizer que sim, que tenho confiança e acredito que estamos no rumo certo. Que tudo vai melhorar, e a pesca conseguirá superar todos os desafios que tem enfrentado durante tanto tempo.

“O Secretário Seif tem se revelado um autêntico representante do setor pesqueiro. Temos que comemorar a atuação da  ministra Tereza Cristina e aplaudi-la quando afirma que “é preciso transformar a pesca em indutora do desenvolvimento do país.”

Alexandre Guerra Espogeiro
Presidente do Saperj

Veja também

EMBARCANDO NA REAL

Precisamos decidir, para o bem de todos, que a pesca não tem nada a ver ...

UMA PRAIA, UMA GAROTA, UM TUBARÃO

A praia é deslumbrante: uma baía pequena e isolada, com ondas de um azul-turquesa cristalino ...

ARMADORES E INDÚSTRIA DA PESCA

Plano Safra 20/21 deixa de fora armadores e indústria da pesca. Aquicultores e pescadores têm ...

DATA MAGNA DA MARINHA

Em 11 de junho de 2020 foi comemorado os 155 anos da Batalha Naval do ...