PEIXE VIVO

Desde o início de abril, as atividades pesqueira e de aquicultura passaram a fazer parte do escopo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais do Estado do Rio de Janeiro. Para o secretário Lucas Tristão, a pesca e a aquicultura podem assumir um papel importante para a economia fluminense.

“A medida tem como objetivo sensibilizar compradores e consumidores da importância de direcionar suas compras para o benefício dos pescadores e produtores de nosso Estado, neste momento em que a solidariedade se mostra como o principal caminho para superar dificuldades “, explica Ramon Neves, subsecretário de Pesca e Aquicultura do Estado do Rio de Janeiro / Imagem: Fiperj

“A pesca já foi um setor muito importante para o Estado, que já foi líder do maior parque industrial de enlatados, e precursor da aquicultura no Brasil. O Rio tem um litoral de 636 quilômetros e estamos entre os principais consumidores de pescados do país. Logo, temos um grande potencial, somos um mercado promissor para pequenos, médios e grandes empresários”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Lucas Tristão.

A Fundação Instituto de Pesca do Rio de Janeiro (FIPERJ), órgão ligado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais do Governo do Estado do Rio de Janeiro, estabeleceu um Plano Emergencial de ações que visa mitigar os impactos da crise do Covid-19 no setor da pesca e aquicultura no Estado.

De acordo com o subsecretário de Pesca e Aquicultura, Ramon Neves,  uma das linhas do Plano é o estabelecimento de campanha para o fortalecimento do consumo de pescado produzido no estado do Rio de Janeiro, com a divulgação de mercados e outros estabelecimentos que possam oferecer o serviço de entregas em domicílio do produto. Além disso, a campanha vai orientar sobre medidas higiênico-sanitárias para o enfrentamento da disseminação do coronavírus.

“A medida tem como objetivo sensibilizar compradores e consumidores da importância de direcionar suas compras para o benefício dos pescadores e produtores de nosso Estado, neste momento em que a solidariedade se mostra como o principal caminho para superar dificuldades “, explica Ramon Neves..

[A medida funcionou durante a Semana Santa. Francisco Tomaso, o Franco,  da Associação dos Pregoeiros de Pescado, no CEASA-RJ, confirmou que os “peixes de combate” (os mais baratos, ou populares,  como sardinha, corvina e anchova) tiveram uma venda normal na Semana Santa. Os peixes mais caros, ou nobres, utilizados em grande parte por restaurantes e hotéis, tiveram sua venda reduzida. – Um vídeo enviado pelo Franco mostra pessoas com sacolas pedindo peixe no fim do dia. Tem muita gente sobrevivendo da mão pra boca, sem lastro, afundando. A fome e a necessidade  não são um espetáculo bonito de se ver.]

De volta à nossa Fiperj, sempre na luta. Já as pequenas cooperativas de beneficiamento de Tilápia do Médio Paraíba  preveem uma queda de até 50% nas vendas com relação ao mesmo período do ano passado. “Por outro lado, alguns municípios, como Macaé, esperam melhora nas vendas, visto que o mercado de peixe está em atividade “, observa Neves.

Desde o início de abril, as atividades pesqueira e de aquicultura passaram a fazer parte do escopo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais do Estado do Rio de Janeiro. Para o secretário Lucas Tristão, a pesca e a aquicultura podem assumir um papel importante para a economia fluminense.

“A pesca já foi um setor muito importante para o Estado, que já foi líder do maior parque industrial de enlatados, e precursor da aquicultura no Brasil. O Rio tem um litoral de 636 quilômetros e estamos entre os principais consumidores de pescados do país. Logo, temos um grande potencial, somos um mercado promissor para pequenos, médios e grandes empresários”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Lucas Tristão.

Coronavírus afeta performance de vendas na Semana Santa

http://www.seafoodbrasil.com.br/coronavirus-afeta-performance-de-vendas-na-semana-santa

 

FIPERJ alerta: período de defeso das espécies de camarões

http://www.fiperj.rj.gov.br/index.php/noticia/detalhe/1124

Boletim “Pescado em Análise”

http://www.seafoodbrasil.com.br/boletim-pescado-em-analise-china-em-pe-14-04

Como sua empresa pode reagir ao coronavírus

https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/coronavirus

Veja também

EMBARCANDO NA REAL

Precisamos decidir, para o bem de todos, que a pesca não tem nada a ver ...

UMA PRAIA, UMA GAROTA, UM TUBARÃO

A praia é deslumbrante: uma baía pequena e isolada, com ondas de um azul-turquesa cristalino ...

A SERENA E FIRME LUTA CONTRA O VÍRUS

“Serenidade: Ações preventivas, individuais e coletivas, para neutralizar os efeitos do vírus, evitando informações que ...

DIÁRIO DA PESTE NA ILHA

Nenhum homem é uma ilha. Nesses dias contagiosos e pandemônicos, quando fica cada vez mais ...